Switch to |
EntrePortas - Imobiliária

6 dicas para tornar a sua casa sustentável

6 dicas para tornar a sua casa sustentável

Em 2020, mude de estilo de vida e ajude a salvar o planeta.

Essa mudança começa em casa, ouvindo os seus filhos. Pense nisto: cada um de nós conta.

Vivemos num tempo em que não podemos ignorar o acelerado aquecimento global. Neste tempo, são sobretudo os nossos filhos a ensinar-nos como devemos comportar-nos para salvar o planeta - logo, a vida na Terra. Nascidos numa época em que se agudizou a consciência ambiental, é das crianças e dos jovens a maior e mais premente manifestação de sensibilidade para um conjunto de pequenas alterações que produzem grandes diferenças na vida de todos. E, certamente, nenhum de nós gostaria de desapontar os próprios filhos. Por isso, só nos resta aprender depressa. E ficar atento aos mitos.

primeiro mito é o de que basta olhar para o ambiente como algo que existe apenas fora de casa e longe de casa. É exatamente o contrário. Apostar num apartamento ou numa moradia mais ecológicos, investir num quotidiano mais sustentável e otimizar os recursos naturais é o primeiro passo para assegurar que os nossos filhos vão viver num mundo mais saudável. A mudança pode refletir-se em gestos que começam na decoração. E se é daquelas pessoas que pensa que uma decoração sustentável significa reciclar pneus e garrafas, está enganado. Isso é, aliás, o segundo mito. Uma decoração sustentável significa sobretudo pensar antes de comprar. Significa fazer escolhas conscientes, ter em consideração o material de cada escolha. Por que não optar pela madeira em vez do plástico? Pelo bambu em vez do acrílico?

terceiro mito está relacionado com a despesa que implica uma decoração sustentável. A maioria das pessoas julga que é necessário gastar muito mais dinheiro para cumprir as boas regras ambientais. Não é. É perfeitamente possível equipar e decorar a sua casa nova respeitando o planeta, sem ter de estar preocupado com qualquer derrapagem orçamental. Sobretudo se adotar a reciclagem como parte da sua rotina.

quarto mito é o de que a responsabilidade pelo ambiente é dos governos de cada país. Também é. Mas também é nossa. Se os supermercados já apostam em sacos reutilizáveis, se os cafés apostam em materiais biodegradáveis, se as lâmpadas incandescentes já são proibidas, se a iluminação pública já é controlada, por que não haveríamos nós de contribuir também? Pense nisto, o gesto de cada um de nós conta. Por isso, a imobiliária ENTREPORTAS, preocupada com as melhores práticas, oferece-lhe seis sugestões indolores para que ajude a preservar, acima de tudo, o futuro das gerações que se seguem.

Entreportas

1. Eliminar o desperdício

Quem nunca deitou comida ao lixo que levante o dedo. Já todos o fizemos, mas talvez ainda nem todos tenhamos pensado no que esse desperdício significa. Nem de que forma podemos evitar que volte a repetir-se. O truque mais simples é este: compre menos de cada vez e vá mais vezes à mercearia. Não encha o frigorífico de produtos que vai acabar por deixar estragar. Procure fazer uma alimentação com produtos frescos e, de preferência, nacionais. E lembre-se de que todas as nossas decisões provocam uma reação em cadeia. Por isso é tão importante escolher o lugar onde vamos viver. Anda à procura de casa para comprar? Escolha um imóvel em que possa ter vida de bairro.

2. Evite compras impulsivas e não tenha pressa com a decoração

Acabou de comprar uma casa nova. É normal que tenha a tentação de querer decorá-la toda de uma vez. Isso vai dar-lhe a sensação de que tem a vida doméstica organizada. Mas decorar também é ter prazer no processo de construção de cada espaço. Se tiver calma, vai fazer compras menos impulsivas. E provavelmente mais baratas. Procure dedicar-se a restaurar um móvel velho ou herdado, envolva os seus filhos, personalize os objetos. Verá que isso tem mais valor do que assistir a uma transportadora a colocar-lhe os móveis todos de uma vez no lugar certo. Isto também é uma atitude sustentável.

 

Artigo relacionado: 10 Ideias para decorar a sua casa no Marco de Canaveses e Baião

 

3. Aproveitar os recursos naturais é de graça

Se puder instalar um painel solar em casa, perfeito. Se não puder, há alternativas gratuitas. Como aproveitar o sol e o vento (escolha bem a orientação solar quando está a procurar casa) para secar a roupa em vez de ligar a máquina, apagar sempre as luzes durante o dia, pintar as paredes de casa de cores claras, abrir as janelas para ventilar a casa em vez de recorrer ao ar condicionado. Parecem gestos irrelevantes, mas é destes gestos que se faz o futuro. E, já agora, a poupança também.

 

Artigo relacionado: Sabia que pode ter um jardim no seu apartamento?

 

4. Nunca deixe os aparelhos elétricos sem uso ligados na tomada

Há objetos em que vale a pena poupar e objetos em que vale a pena despender um pouco mais de dinheiro. É o caso dos eletrodomésticos de classe energética A ++ ou A +++, que consomem até 70% menos de energia quando comparados com os eletrodomésticos de classe A. Desta forma, também está a poupar na fatura de eletricidade. Depois, tenha o cuidado de nunca os deixar ligados à tomada quando não está a utilizá-los. Há quem acredite que o gasto é residual, mas não é. Além disso, um eletrodoméstico permanentemente ligado à ficha é um eletrodoméstico com uma vida muito mais curta. Isto vale também para as lâmpadas de LED: são bastante mais caras, mas gastam até 80% menos de energia.

5. Aposte no artesanato e reutilize tecidos

Não existe nada mais reutilizável do que os tecidos. E todos nós temos mais roupa do que aquela de que necessitamos. Mesmo assim, é cada vez mais uma prática corrente (e irresponsável) deitar roupa fora. Em vez disso, transforme-a. É uma das formas mais simples de ajudar o ambiente. E não se trata apenas da roupa de vestir, mas também dos cortinados, dos tapetes, dos lençóis e dos atoalhados. Dê largas à sua imaginação e crie peças novas. Lembre-se de que o objetivo é sempre o mesmo: evitar o excesso de consumo e, consecutivamente, produzir cada vez menos lixo. Ao mesmo tempo, invista mais no artesanato e no comércio local, em vez de deixar-se seduzir pelas produções em massa. Ou seja, olhe para a sua casa e sinta que é um consumidor de consciência tranquila.

6. Invista no isolamento de casa

Vidros duplos, toldos, persianas ou recursos equivalentes podem mudar completamente a temperatura de sua casa. Mas há estratégias igualmente simples que também podem ajudar a refrescar a sua casa, sobretudo no verão, sem sobrecarregar o planeta. A maneira mais fácil é espalhando plantas pela casa. Acredite ou não, as plantas são o melhor ar condicionado que pode ter. Usar cortinas blackout por trás das cortinas de tecido é outra estratégia imbatível, mesmo se as janelas representam apenas 10% do calor. Mais importante, se está a pensar restaurar uma casa, nunca escolha poupar no isolamento das paredes. Pense sempre nisto, quanto melhor for a sua casa, mais amiga do planeta ela será.

 

Artigo relacionado: Quatro truques económicos para aquecer a sua casa

PESQUISAR
PEDIDO DE CONTACTO
PARTILHAR EM:

Imóveis em Destaque: Norte de Portugal

Póvoa de Varzim, Beiriz e Argivai, Póvoa de Varzim
€ 100 000
Venda de Loja, Póvoa de Varzim
Ref.: PV03488
122 m2
Bem Viver, Marco de Canaveses
€ 27 000
Venda Terreno com frente Rio Douro, Magrelos, Marco de Canaveses
Ref.: MC09111
700 m2
Moledo e Cristelo, Caminha
€ 40 000
Venda de Terreno, Moledo, Caminha
Ref.: VCC10377
1 260 m2
Paredes de Viadores e Manhuncelos, Marco de Canaveses
€ 30 000
Venda Terreno, vista desafogada, Paredes de Viadores, Marco de Canaveses
Ref.: MC04417
4 878 m2
Santa Maria Maior e Monserrate e Meadela, Viana do Castelo
€ 125 000
Loja - Encosta Elevador
Ref.: 5537
Santa Maria Maior e Monserrate e Meadela, Viana do Castelo
€ 175 000
Venda de Apartamento T2, Meadela, Viana do Castelo
Ref.: VCC12500(I)
2
Copyright 2018 © ENTREPORTAS.  |   LUXIMO'S